Torres Saiba mais sobre a capital do balonismo.

Balonismo Torres RS

A festa do Balonismo em Torres começou por acaso. Em 1989, durante os preparativos da II FEBANANA, festa anteriormente realizada no município, seus organizadores resolveram inovar e trazer alguns balões para a abertura do evento. O sucesso foi tamanho que, a partir do ano seguinte, surgia o I Festival Sulbrasileiro de Balonismo.
A cidade de Torres tornou-se a capital brasileira do balonismo. Ela agrada aos praticantes tanto por seu clima e topografia ideais para o vôo, quanto por oferecer uma das melhores infra-estruturas do Brasil para pilotos e equipes. O evento reúne anualmente, no mês de abril, cerca de 40 mil pessoas no Parque do Balonismo.
Situada no litoral do Estado do Rio Grande do Sul, Torres recebe anualmente milhares de pessoas de todo o Brasil e, também, dos países vizinhos. Além de ser um dos destinos de veraneio mais sofisticados do Estado, a cidade é sede de festivais de balonismo, atividade muito difundida na região. Seu clima agradável e a vastidão de suas praias de areias brancas também fazem parte das atrações locais.
A cidade possui uma grande variedade de belezas naturais, formando um ecossistema único no Estado. Ali é possível encontrar mar, ilha, praias, dunas, rochedos, mata atlântica, rio, lagoa, cachoeiras e diversas espécies da fauna e da flora – tudo num mesmo lugar.
Torres é um dos municípios mais antigos do Estado do Rio Grande do Sul. A região foi inicialmente habitada por índios Carijós, Minuanos e Arachanes, que viviam da caça e pesca e se dedicavam a uma rudimentar agricultura. Hoje, resta o casario colonial, que conta um pouco da história da cidade, surgida ainda no século XVIII.

Informação básica

Clima

O clima de Torres é o temperado ameno seco. A temperatura média anual da região é de 21ºC – com máximas de até 35ºC e mínimas de 12ºC. O calor é suavizado por uma leve brisa refrescante que vem do mar.

Dados da cidade

Torres
Estado: Rio Grande do Sul
Região: Sul
População: 30.880 habitantes
DDD: (51)

Distâncias

Cambará do Sul: 79km
Criciúma: 99km
Porto Alegre: 198 Km
Florianópolis: 280 Km
Blumenau: 423 Km
Curitiba: 521 Km
São Paulo: 919 Km

Hospedagem / Restaurantes

Um dos destinos mais sofisticados do verão no Estado do Rio Grande do Sul, Torres está acostumada com o volumoso movimento de turistas e conta com grande variedade de locais para hospedagem e alimentação. Os preços variam de acordo com o tipo de acomodação que o visitante deseja. Para mais informações sobre os estabelecimentos de Torres, visite:

http://www.torres.com.br/tempresas.asp?ramo=54
http://www.torres.com.br/tempresas.asp?ramo=53
http://www.torres.tur.br/pousadas.htm
http://www.torres.tur.br/restaurantes.htm
http://www.torres.tur.br/barespubs.htm
http://www.clictorres.com.br/
http://paginas.terra.com.br/lazer/o.campista/Torres.htm

Como chegar

Via Rodoviária: Chegando pelo Norte, via BR-101, fica distante 280Km de Florianópolis, capital de Santa Catarina; pelo Sul, pode-se chegar também pela BR-101 ou pela Estrada do Mar (RS-389). Fica a 197Km de Porto Alegre, a capital gaúcha.
Serviços
Secretaria de Turismo: +55 (51) 3664-1219
Casa do Turista: +55 (51) 3626-5559
Rodoviária: +55 (51) 3664-1787
Hospital: +55 (51) 3664-1100

Agências Bancárias

Torres possui agências dos bancos Banrisul, Bradesco, Banco do Brasil e CEF.
Links relacionados

www.torres.com.br
www.torres.tur.br
www.brasilchannel.com.br
www.raizesdosul.com.br

www.weblinguas.com.br

Atrações

Praia Grande

Com 2 km de extensão, é a praia preferida para o banho de mar. É também onde acontece a maioria dos eventos esportivos do verão, tais como futebol, vôlei, surfe, entre outros. Ali também são organizados shows ao ar livre.

Praia dos Molhes

Os molhes foram construídos de 1968 a 1970 para fixação da foz do rio e para facilitar a saída de barcos pesqueiros. A Praia dos Molhes tem 250 m de extensão e é uma das áreas de surf de Torres, por apresentar boas ondas para a prática do esporte.

Prainha

Conhecida também como Praia do Meio, tem 600 m de extensão. É a mais tranqüila de Torres e possui solo rochoso, garantindo belas paisagens naturais. É também um grande ponto de encontro dos jovens nas tardes de domingo.

Praia da Cal

Possui este nome porque até 1940 existiam nela vários fornos de torrefação de conchas, caramujos e mariscos para a fabricação de cal mineral. Começou a receber turistas e veranistas a partir de 1942. Tem 800 m de extensão, sendo um dos locais preferidos para a prática do surfe. Em frente à Praia da Cal fica a Praça Nossa Senhora dos Navegantes, que possui uma imagem da Santa. Conhecida como Iemanjá nas religiões de origem africana, a santa é homenageada todo dia 2 de fevereiro.

Monumento ao surfista

Localizado junto à Sociedade Amigos da Praia de Torres, é um dos únicos monumentos da América Latina que presta este tipo de homenagem. Construído em concreto, representa um atleta surfando.

Parque da Guarita

Os desenhos dos seus jardins foram feitos pelo famoso paisagista Burle Marx, com a ajuda do ecólogo José Lutzemberger. Possui um restaurante típico e um lindo anfiteatro natural cercado por um lago artificial, palco de várias apresentações culturais. No Parque fica a Praia da Guarita, considerada a mais bela de Torres, rodeada pelas Torres Centro, Sul e Guarita.

Morro do Farol

Conhecido primeiramente como Torre Norte por ser a primeira torre que se avista no sentido norte-sul, o Morro do Farol foi assim denominado porque ali foi construído o primeiro farol de Torres, em 1912. Naquele tempo, ele era feito em madeira, e caiu durante uma forte tempestade em 1935.
O farol atual possui 18 m de altura, acendendo de oito em oito segundos. Pode ser visto em noites claras a uma distância de oito milhas marítimas ou 12km. O Morro é o local perfeito para se avistar as belezas naturais da cidade: dali pode-se ver todas as praias, as torres, a Lagoa do Violão, as serras, as dunas e a Ilha dos Lobos. Ao pé do morro, virada para o mar, está a gruta de Nossa Senhora Aparecida e uma fonte de água puríssima.

Morro do Meio

A mais importante das três torres, por seu tamanho, é a do Meio – também conhecida por Morro das Furnas. Fica a 600 m do Farol, separada de lá pela Praia da Cal. É um tabuleiro alongado, com 135 mil m² de superfície superior. Seu ponto culminante fica a 66 m de altitude. A encosta oriental, que abriga as furnas, é repleta de falésias perpendiculares batidas no sopé pelas ondas do mar.

Morro Sul

O Morro Sul (Torre Sul) está localizado no Parque da Guarita e possui um grande paredão de frente para o mar. Uma escadaria de mais de 100 degraus leva o público até seu topo, de onde se pode desfrutar de uma linda vista da Praia da Guarita, da Praia da Itapeva, do Morro do Meio, das dunas e da cidade. O Morro Sul separa o Parque da Guarita da Praia da Itapeva.

Lagoa do Violão

Está localizada no centro da cidade e tem esse nome por seu formato assemelhar-se a um violão. O local é muito utilizado para a realização de esportes aquáticos.

Praia da Itapeva

A Praia da Itapeva possui seis mil metros de extensão e fica depois do Parque da Guarita. Tem esse nome devido ao Morro da Itapeva, que em tupi significa “pedra chata”. Junto ao Morro estão localizadas as dunas da Itapeva, ótimo local para a prática de sandboard.

Pedras da Itapeva

Rochedo localizado na Praia da Itapeva, ótimo local para a pesca esportiva.

Ilha dos Lobos

Distante 1,8 km da Praia Grande, é a única ilha marítima do Rio Grande do Sul. Tem esse nome por receber lobos marinhos todos os anos, entre os meses de julho e novembro, na temporada de acasalamento dos animais. Em 1983, foi declarada Reserva Ecológica. É uma importante área de descanso e alimentação para leões e lobos marinhos; além de servir de ponto de passagem para golfinhos, baleias e botos; aves e tartarugas marinhas.
o relevo da Ilha dos Lobos não ultrapassa dois metros. Já foi causa de muitos naufrágios em tempestades. O último navio que lá afundou foi o HAWAII, em 1965.

Rio Mampituba

Rio que forma a divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina. O nome Mampituba é de origem tupi e significa “rio de muitas curvas”.

Igreja São Domingos

Inaugurada a 24 de outubro de 1824, sua construção segue o estilo colonial barroco simples e possui uma única torre – erguida em 1898 pelo Padre Lamônaco. Existem no seu interior imagens doadas por Dom Pedro I, de grande valor histórico. Foi tombada pelo Projeto Pró-Memória.

Ponte Pênsil

Construída em 1985, substitui uma antiga ponte de madeira. Esta, de concreto e cabos de aço, permite o acesso à localidade de Passo de Torres, no Estado de Santa Catarina.

Santinha

No local, há uma vertente de água cristalina que sai da rocha do Morro do Farol e a imagem de uma santa. Está localizada entre a Prainha e a Praia da Cal.

Casa da Cultura

Dedica-se à preservação da memória regional e ao desenvolvimento de programas culturais. A sede ocupa hoje um casario do século XIX, situado na Rua Júlio de Castilhos, 838. Passou a ser a Casa da Terra – sede municipal da cultura – em 1992.

Interior

O interior de Torres ainda guarda belezas nativas pouco exploradas e muito bem preservadas. Ali é possível deparar-se com exemplares da fauna da Mata Atlântica, como tucanos, gatos do mato, entre outros animais. São locais de costumes rurais onde se concentram grandes plantações, principalmente de banana e arroz.

Share Button

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*